Call of Duty Rio é uma versão da já consagrada série Call of Duty disponibilizado gratuitamente sobre os combates entre a Polícia e Facções Criminosas do Rio de Janeiro. Totalmente desenvolvido no Rio pelo mesmo responsável pelas séries Call of Duty Frontlines e HER. Conta com o apoio do maior clan FPS da América Lantina, o Blood Culture (www.BloodCulture.com.br).

Trata-se de um MOD do tipo TC (Total Conversion) para o aclamado jogo Call of Duty 4 Modern Warfare desenvolvido sobre a engine ID Tech 3 que foi bastante modificada pelo Call of Duty Frontlines, o qual é a base deste projeto.

Todas as DLCs que serão continuamente lançadas serão também gratuitas assim como foi na história dos quase 10 anos do Frontlines. Não há pegadinhas nem opção Pay2Win. Portanto fiquem tranquilos pois manteremos a mesma filosofia que tornou o Frontlines um grande sucesso.


Desenvolvido sobre a engine do premiado Call of Duty Frontlines oferece pela primeira vez na história dos jogos FPS um jogo totalmente voltado ao Brasil e focado nos confrontos entre a Polícia e as Facções Criminosas do Rio de Janeiro.

Pretende manter o mesmo teor realista e violento do Frontlines convertido para realidade Carioca. Mapas exclusivos desde Favelas às áreas nobres da Zona Sul, passando por pontos turísticos e até fazendas do tráfico. Mapas clássicos de diversos jogos da série Call of Duty e de outras famosas franquias de FPS estão sendo convertidos e adaptados ao Rio de Janeiro. PM, BOPE, CORE e até mesmo o Exército Brasileiro terão suas participações.

Ele será completamente gratuito e focado no Multiplayer com servidores nos já conhecidos padrões do Blood Culture. Possuirá também Missões Solo ou Cooperativas para se jogar sozinho ou com amigos em casa em LAN ou online.

Para jogá-lo gratuitamente basta ter o jogo FPS mais jogado do planeta até os dias de hoje, o Call of Duty 4 Modern Warfare. É hora de tirar a poeira do seu jogo e reinstalá-lo, ou se ainda não teve a oportunidade de jogá-lo, ele custa por volta dos R$30 no Steam, mas em promoções costuma ser vendido por volta dos R$15. Apesar do que ele funcionará também com qualquer versão desde que atualizada.

Força e Honra!


Tudo começou em 2007 após estar empolgado com o filme Tropa de Elite e também jogando muito GRAW (Ghost Recon Advanced Warfighter) em COOP com amigos em LAN e online com a galera do Blood Culture. Então comecei a estudar como poderia de uma certa forma "abrasileirar" este incrível jogo como fazia com os jogos de futebol nas décadas de 80 e 90, o convertendo especificamente para realidade do Rio, onde os Ghosts seriam agora soldados do BOPE.

Mas no final de 2007 foi lançado o jogo Call of Duty 4 : Modern Warfare, que foi um divisor de águas no mundo FPS, e acabou sendo o jogo FPS mais jogado no planeta até os dias de hoje. Com ele nasceu o Frontlines que com o sucesso se tornou meu maior projeto de jogos até hoje, o qual venho me dedicando desde 2008.

Com isso jamais dei continuidade ao projeto do BOPE para o GRAW por questões simplesmente de tempo e público, pois o GRAW nem tinha 1% do número de players que o COD4 em seu auge.

Anos depois resolvi reativar este projeto, mas alguns meses depois soube que a GameSpy iria fechar, e com isso todo o sistema multiplayer de diversos jogos seriam interrompidos para sempre, incluindo do GRAW o que tornaria meu projeto que era bem grande, limitado para apenas para satisfazer a mim e amigos que vinham jogar em LAN lá em casa, e como não jogávamos mais com a mesma frequência há muito tempo desde que virei papai, seria muito trabalho para tão pouco tempo de diversão. GameSpy fechou em definitivo em Fevereiro de 2013.

Fiquei bastante decepcionado por que se tivesse tempo, este projeto teria ido pra frente e teríamos nos divertido muito durante todos estes anos jogando com o BOPE nas favelas do Rio muito antes do MW2 nos dar algo parecido. Caso olhe o código fonte do meu site poderá ver o link para o projeto comentado.

Obviamente passou diversas vezes na minha cabeça em fazer isso também no COD4, mas sempre esbarrava numa limitação de objetos da engine do jogo, que permite apenas adicionar pouquíssimos objetos novos, e se passamos deste limite crashes acontecerão com frequência, e diversos mapas famosos simplesmente não funcionarão mais.

Desde 2013 venho desenvolvendo um novo Frontlines, com uma engine ainda mais modificada que hoje pouco se assemelha com a original de 2008, e com isso consegui abrir espaços onde não existiam para poder trabalhar e paralelamente estudando como de fato realizar este velho projeto.

Então desde 2014 venho trabalhando no Call of Duty Rio que seria a versão Carioca da guerra retratada no Frontlines. Com o mesmo realismo e veracidade, mas desta vez baseado no Rio de Janeiro, contando com PM, BOPE, CORE e Exército Brasileiro lutando contra as maiores facções criminosas do Rio.

Agora com a nova versão do Frontlines pronta, estou destinando 90% do meu tempo livre para por em prática tudo que vim estudando ao longo de todos estes anos para tornar o Call of Duty Rio algo extremamente divertido de se jogar, com um realismo e fidelidade jamais alcançados em nenhum jogo FPS que tentou retratar a guerrilha da minha cidade.


Frontlines é um MOD para o jogo Call of Duty 4 Modern Warfare. Ele foi 100% criado, desenvolvido e testado no brasil por nossos membros, onde temos orgulho de sermos os pioneros do Brasil nesta área e por isso montamos o primeiro servidor de Frontlines do país.


Ele possui muitas novidades como vários novos gametypes, vários tipos de modos de armas, anti-camping e muitas outras opções de configuração do server, o que faz o server ser inteligente e se adaptar ao momento, como por exemplo definir quais mapas rodar, que tipos de jogos rodar, com que tipos de armas liberadas, etc... tudo automático e aleatoriamente, ou seja, nunca vamos saber o que vamos jogar em seguida, tornando o server livre de ser chato e repetitivo.

Além disso tudo o já famoso War Server, que transforma um simples server numa grande guerra onde todos são designados a seus respectivos times durante toda a guerra, e se unem para vencer diversas batalhas e cumprir vários objetivos para vencer a grande guerra no final.

Durante o auge do COD4 o mod fez muito sucesso na Europa e principalmente na França e Alemanha onde se encontravam o maior número de servidores online como também foi lançado em diversas revistas por lá. Neste mesmo tempo mantínhamos o que por muitos anos foi o maior servidor de COD4 do país com 64 slots o qual estava sempre cheio, chegando até a lotar em algumas WORLD WARs que organizávamos com jogadores de Frontlines de diversos países.

Em 2009 o Frontlines foi eleito pelo site Bash and Slash (um dos mais respeitáveis sites de FPS do planeta) o Melhor mod de Call of Duty de 2008, o que ajudou mais ainda o crescimento de sua popularidade no mundo.


No mesmo ano foi lançada a versão final do Frontlines mas devido ao fracasso do Modern Warfare 2 de não ter servidores dedicados e nem modtools, tudo que já estava sendo planejado para ele seria desperdiçado, foi quando o projeto do Frontlines foi reaberto, e quando nasceu o Frontlines R3L04D. O Frontlines R3L04D era tudo que o Frontlines já era, só que com muito, mas MUITO mais... onde certamente a novidade de pular de paraquedas foi o que chamou mais atenção e seus incríveis novos gametypes entre muitas grandes novidades. Se tornou o maior e mais diverso FPS game do planeta, com nada menos que 42 gametypes.

Tiveram também versões para o World at War e Black Ops, sendo que o Black Frontlines também faturou o prêmio de melhor mod de Call of Duty mas desta vez pelo maior site de mods do planeta, o MODDB.


A versão Frontlines FOREVER foi lançada no final de 2018 exclusivamente no MODDB e logo no início de 2019 foi eleito o Melhor Mod de Call of Duty de 2018 no MODDB, tanto na categoria dos Editores como na dos Jogadores.

Nomeado Vencedor 2° Lugar Vencedor Vencedor

Também faturou o primeiro lugar do Brasil e da América Latina entre TODOS os mods! Abaixo pode assistir o vídeo de lançamento.



O Blood Culture começou entre um grupo de amigos que jogavam juntos desde 2000 alguns jogos em LAN, em 2005 migramos para jogar online e o Blood Culture foi criado para se jogar exclusivamente Quake II Evolved. Desde 2008 expandimos oficialmente para qualquer jogo que nossos membros queiram jogar, onde temos partidas com dias e horários marcados e nos encontramos para jogar os mais diversos jogos nos mais diversos estilos.

Hoje possuímos mais de 250 membros de todas as partes do Brasil, vários Servidores de jogos online 24hs com altíssima qualidade, onde alguns deles são os melhores e maiores do país. Temos desde o nosso jurássico server de Quake II Evolved pela divisão Quake, passando por diversos servers das nossas divisões de Call of Duty, GRAW, Battlefield e ainda diversos outros servers dos mais diferentes jogos.

Estamos sempre abrindo mais servidores para os jogos mais jogados pela comunidade. Também possuímos um grande servidor de TeamSpeak o qual usamos para nos falarmos durante os jogos, o que torna tudo muito mais divertido.

O Blood Culture foi criado sobre os padrões dos grandes clans europeus e não há nenhum clan em toda América Latina tão grande e tão organizado quanto ele. Hoje é reconhecido mundialmente como um dos maiores e melhores clans para se jogar online com os amigos.

Apesar de sermos super organizados não somos um clan de competição, e por isso não exigimos bons jogadores mas sim bons amigos. Aqui quem sabe ensina e quem não sabe aprende, sem panelinhas e sem xingamentos. Aqui é uma reunião de amigos para jogar e se divertir. Então se tiver interessado em participar registre-se em nosso fórum e caso deseje se tornar um de nossos soldados, ficaremos aguardando seu alistamento.

E além disso tudo nós também desenvolvemos nossos próprios mods para tornar tudo ainda melhor e diferente de qualquer outro server. Mods famosos mundialmente como as séries HER e Frontlines foram desenvolvidos e testados totalmente por nós em nossos servidores brasileiros. Mais informações em www.mods.hajas.org.